Petição Pública Logotipo
Ver Petição Apoie esta Petição. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

Pela defesa daqueles que nos amam incondicionalmente…

Para: Câmara Municipal de Esposende

1 de Julho de 1867…
A data diz algo?
Sim ou não?

Para imensas pessoas a data mencionada é irrelevante, pois diz respeito a um evento que não associam, mas aquela data constitui um feito do pioneirismo de Portugal. A partir de 1 de Julho de 1867 a pena de morte em Portugal foi abolida e nesse sentido nunca mais uma vida humana foi executada pelo nosso Estado. A data assinala assim um progresso civilizacional da sociedade portuguesa.

Um outro marco deveras assinalável, foi promulgação da lei 27/2016 que aprovou medidas para impedir o abate dos nossos amados animais de estimação que sejam abandonados e estejam perdidos.
No entanto, cento e cinquenta anos após a abolição da pena de morte e apesar da promulgação da citada lei, Portugal ainda possui centros/estabelecimentos de recolha de animais onde a prática do abate é usual e corrente. Se enquanto humanos tivemos a coragem de impedir que o Estado punisse com pena de morte seres humanos condenados pela prática de crimes hediondos, porque motivo ainda permitimos a matança de animais de estimação cujo único crime é oferta da sua companhia, lealdade e tempo de vida?
Tem um animal de estimação? Então olhe para o seu rosto, fixe no seu olhar e questione se um dia imagina vê-lo num canil, assustado, perdido, preso à espera da hora para ser abatido. A resposta é um redondo não, de certeza!

Queremos que a lei seja implementada e fiscalizada de forma urgente.

Queremos ainda que a sociedade civil e as entidades autárquicas sejam sensibilizadas para o presente problema. Na verdade, este apelo e pedido surge na sequência de um protocolo de colaboração que o Município de Esposende vai celebrar com o Presidente dos Bombeiros Voluntários de Fão para a recolha e transporte de animais errantes feridos e doentes e adequado encaminhamento para o Canil Intermunicipal de Ponte de Lima.

Acontece que, o Canil Intermunicipal de Ponte de Lima é um dos estabelecimentos cujo fim adequado para estes animais é o abate. Os próprios Bombeiros que pagaram o curso de socorro de animais de companhia sentem-se revoltados com os moldes deste protocolo. Como dizem ..."estamos ansiosos por começar a prestar estes serviços com os novos equipamentos que estão para chegar, exclusivamente na área para a qual fomos formados, fazendo assim jus ao nosso lema: VIDA POR VIDA". Nunca aceitaremos fazer o transporte de um animal para um canil de abate, nós fomos formados para ajudar a salvar vidas."
Há outras políticas, mais amigas dos nossos animais de estimação. Há outras entidades e associações que trabalham com todo o carinho e amor em prol dos animais. Já existem muitos municípios, alguns nossos vizinhos, que implementam uma política ou programas CED, que se traduzem na Captura dos animais errantes, Esterilização dos mesmos e consequente devolução ao seu meio.

É essencial que a nossa voz seja ouvida, que a nossa indignação e a nossa tomada de posição mude mentalidades e permita a execução de verdadeiras politicas de promoção do bem estar dos animais de estimação.
E para que a nossa voz chegue a quem de direito, isto é, às pessoas que detêm o monopólio do poder, é essencial o teu apoio no presente baixo assinado. Em prol da nossa humanidade, ajuda-nos a salvar aqueles que nos amam incondicionalmente….

Obrigado pela sua atenção e dedicação!

Apenas, única e exclusivamente
Luísa Torre e NÃO ANIESP. A Associação é constituída por várias pessoas e não foi tida em conta na execução desta petição.





Qual a sua opinião?

A actual petição encontra-se alojada no site Petição Publica que disponibiliza um serviço público gratuito para todos os Portugueses apoiarem as causas em que acreditam e criarem petições online. Caso tenha alguma questão ou sugestão para o autor da Petição poderá fazê-lo através do seguinte link Contactar Autor
Assinaram a petição
143 Pessoas

O seu apoio é muito importante. Apoie esta causa. Assine a Petição.