Petição Pública Logotipo
Ver Petição Apoie esta Petição. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

NA DEFESA DO POSTO MÉDICO DA CUF

Para: Assembleia da República, Direção Geral do Património Cultural, Ordem dos Arquitetos, Presidentes da Assembleia Municipal e do Município do Barreiro, Presidentes das Juntas de Freguesia do Barreiro, Administração da Baía do Tejo, População e Órgãos de Comunicação Social

NA DEFESA DO POSTO MÉDICO DA CUF


“Cada um dos bens do património cultural ou natural é único e o desaparecimento de um deles constitui uma perda definitiva e um empobrecimento irreversível desse património.”
UNESCO


Esta Petição tem por objetivo mobilizar e unir vontades no sentido da defesa e preservação do “Posto Médico da CUF”, edifício inaugurado em 18 de Abril de 1943 na sequência da fundação da Caixa de Previdência do Pessoal da Companhia União Fabril (CUF) e Empresas Associadas em 1940, em detrimento do projeto atual e das obras em curso promovidas pelo parque empresarial da Baía do Tejo que preveem a sua demolição.

O Posto Médico bem como o Centro de Medicina no Trabalho, faziam parte de um projeto social mais vasto a que Alfredo da Silva chamou “A Obra Social da CUF” e cuja premissa visava prestar cuidados de saúde aos seus trabalhadores e familiares. Segundo Miguel de Sousa no livro “Alfredo da Silva a CUF e o Barreiro”, o posto médico era descrito como: “…naquilo que atualmente se poderia designar para efeitos práticos uma Policlínica, no sentido clássico do termo (…) a qual dispunha de capacidade instalada para radiologia, análises clínicas, exames especializados, enfermagem, tratamentos ortopédicos, fisioterapia, partos não-complicados e farmácia privativa”. Salienta-se que esta farmácia, além de fornecedora de medicamentos, também os produzia e distribuía aquando da sua escassez como no período pós 2ª guerra mundial.

Acresce a sua qualidade construtiva, materiais e estética e todo o seu desenvolvimento formal em torno de um claustro que lhe proporciona luz interior e uma eficaz ventilação natural, obra arquitetónica de relevante qualidade, bem como o equipamento ainda por lá decerto se pode encontrar, tudo isto comum a construções semelhantes que a CUF promovia.

É importante que tenhamos uma palavra a dizer sobre o que queremos como património da nossa história, nomeadamente quando essa história se confunde e interliga com a do Barreiro e das suas gentes (naturais e de muitos que para aqui imigraram), que aqui trabalharam, lutaram, viveram, amaram e morreram. História que urge preservar porque aquele edifício tem “História e Estória”.

Pretende-se que ao edifício seja dada uma utilidade condigna ao integrá-lo nos Polos Museológicos como a casa de Alfredo da Silva ou o Museu Industrial da Baía do Tejo, sendo este no entanto um exemplar da obra social dedicado à saúde e bem-estar dos trabalhadores da CUF e seus familiares.

Assim, e considerando a importância que detém o conjunto formado pelo Bairro Operário, e os antigos edifícios em que funcionavam a Creche e Infantário, a Despensa Social, o Laboratório Central, o Refeitório n.º 1, o Refeitório da Messe e a Casa da Cultura, património indiscutivelmente único no país e testemunho de uma época que contribuiu de uma forma decisiva para o crescimento e história do Barreiro vêm os cidadãos abaixo-assinados solicitar o seguinte:

1.Manutenção de todo o edificado do lado poente da Rua da CUF de forma a preservar a unidade do tecido urbano industrial daquela rua, reforçando o valor do seu edifício mais emblemático: o Posto Médico da CUF, no qual nasceram muitas gerações de Barreirenses e que apresenta também grande valor patrimonial e que por isso deve ser mantido, o que implica a alteração ao projeto existente, que podem ser compensadas com os itens a seguir descritos:
1.1. A musealização do antigo Posto Médico da CUF a par com a Casa Alfredo da Silva inserindo-o no conjunto urbano e industrial situado entre as ruas da CUF a poente, de Liebig a nascente, a 9 de abril a norte e do industrial Alfredo da Silva e da União a sul;
1.2.A integração do edifício no roteiro para a interpretação do património industrial em todo o antigo complexo industrial, com a criação de uma placa de sinalização e explicação do edificado e suas antigas funções, com eventual recurso a tecnologia áudio-guia e recreação do ambiente sonoro e visual e sua divulgação a instituições de ensino e culturais nacionais e internacionais, promovendo parcerias;

2.Integração e discussão pública deste processo e de outros desta natureza que possam por em causa valores patrimoniais únicos e insubstituíveis, como é o caso.


Esperando a melhor atenção para este anseio que resulta da legítima vontade de preservação do edifício do “Posto Médico da CUF” e de um tecido urbano-industrial ligado a funções industriais de características únicas no país, mas que no entanto se entende ser possível revitalizar com funções compatíveis e com a consciência liberta de saudosismos, temos a convicção de que os seus primeiros Diretores (Dr. António Pacheco Nobre e o Dr. Carlos França) igualmente concordariam ser um dever cívico assinar esta Petição. Subscrevem esta petição os seguintes cidadãos:


Qual a sua opinião?

NA DEFESA DO POSTO MÉDICO DA CUF, para Assembleia da República, Direção Geral do Património Cultural, Ordem dos Arquitetos, Presidentes da Assembleia Municipal e do Município do Barreiro, Presidentes das Juntas de Freguesia do Barreiro, Administração da Baía do Tejo, População e Órgãos de Comunicação Social foi criada por: Grupo de Cidadãos "Na defesa do Posto Médico da CUF" (nadefesadopostomedicodacuf@gmail.com).
A actual petição encontra-se alojada no site Petição Publica que disponibiliza um serviço público gratuito para todos os Portugueses apoiarem as causas em que acreditam e criarem petições online. Caso tenha alguma questão ou sugestão para o autor da Petição poderá fazê-lo através do seguinte link Contactar Autor
Assinaram a petição
346 Pessoas

O seu apoio é muito importante. Apoie esta causa. Assine a Petição.