Petição Pública
Contra a criação de um Mega Centro para a população Sem-abrigo no Quartel de Santa Bárbara pela Segurança dos Habitantes e Comerciantes de Arroios

Assinaram a petição 642 pessoas
Exmo. Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal Dr. José Almeida Leitão

Exmo. Sr. Presidente da Camara Municipal de Lisboa Dr. Fernando Medina

Exma. Sra. Presidente da Junta de Freguesia de Arroios Dra. Margarida Martins

Foi aprovada pela Câmara Municipal de Lisboa, a adaptação de um edifício para concentrar a grande maioria da população sem-abrigo (sem-teto) da cidade, no Quartel da GNR desativado na Rua Jacinta Marto em Arroios.

Ninguém na Freguesia foi consultado sobre esta medida que trará grandes alterações nomeadamente no bem-estar e segurança desta zona da cidade.

O projeto piloto de grande abrigo no Casal Vistoso foi um redondo falhanço! No Pavilhão do Casal Vistoso no Areeiro aumentou consideravelmente a criminalidade, o consumo de droga e álcool naquele bairro, bem como distúrbios frequentes que foram denunciados pelos habitantes da zona e sua Junta de Freguesia, que se sentiam e sentem inseguros no seu dia a dia. O Pavilhão do Casal Vistoso tinha capacidade máxima para cerca de 90 utentes, o novo projeto do abrigo em Arroios terá a capacidade máxima de 200 pessoas.

Com esta decisão a Camara Municipal decidiu confinar num só local, grande parte da população errante da cidade, e a única intenção que se pode retirar desta decisão será “limpar” as outras freguesias da cidade, sobrecarregando ainda mais o frágil tecido social de Arroios, que já era indubitavelmente a área da cidade onde muita desta população procurava asilo.

Arroios nunca baixou os braços na ajuda à população carenciada. É aqui que se localiza o maior refeitório de Apoio a população carenciada, conhecido como “Refeitório dos Anjos, ou “Sopa dos Pobres”, é aqui que se localiza o Centro de Apoio e distribuição de Refeições da CML no Largo de Santa Bárbara, entre tantos outros. Para uma Freguesia tão sobrecarregada de si por esta população, a deslocação de mais 130 Pessoas em situação de calamidade social, vai trazer para esta área da cidade uma crise a nível Social e de Segurança sem precedentes.

E porque estamos a falar de pessoas, estas precisam da ação de todas as autarquias e Juntas de Freguesia e não da política de concentrar estas pessoas todas na mesma freguesia, provocando uma calamidade irreversível ao nível de Segurança.

Cada Junta de Freguesia deverá criar a sua própria rede de ajuda de forma a formar pequenos núcleos e assim, poder ter uma política de proximidade e ajuda para esta população tão necessitada e carenciada.

Esta população carenciada e sem quaisquer meios de subsistência, ou perspetiva de futuro, em grande maioria toxicodependentes e com graves problemas de Álcool em nada vai lucrar com esta deslocação em massa para ficarem confinados num só espaço da cidade.

Onde antes tínhamos famílias a passear, idosos a dar as suas caminhadas, jovens a brincar, vamos agora criar um bairro degradado, perigoso, ao abandono, a evitar.

Este edifício tinha já aprovado a criação de habitações de renda acessível e de comércio, isso sim, que traria para o bairro uma população jovem, dinamização do comércio local, valorização do espaço público e privado. De uma hora para a outra um projeto que estava aprovado deu lugar a outro bastante prejudicial para o bairro.

Os habitantes de Arroios, seus ex-habitantes, Comerciantes e todos os abaixo assinados que querem preservar esta zona tão bonita da cidade vêm desta forma repudiar esta decisão unilateral da Câmara Municipal de Lisboa se manifestando desta forma contra a abertura deste Mega Centro de ajuda a sem-abrigo no Quartel da Rua Jacinta Marto (Largo de Santa Bárbara) pela Segurança de todos.
Ver Mais...
Facebook WhatsApp
Email  

versão desktop