Pela proibição de corridas de galgos em Portugal!

4.414 Pessoas
A corrida de galgos é uma indústria competitiva e organizada, na qual os cães são forçados a correr numa pista. Os cães perseguem uma presa (tradicionalmente uma lebre ou coelho artificial) na pista até passarem a linha da meta. Tal como acontece com as corridas de cavalos, nas corridas de galgos também se fazem apostas por parte do público.

Indústria das corridas de galgos
Nessa indústria, a chave para o sucesso e lucro dos criadores e treinadores é terem cães velozes. Mas apenas poucos dos estimados 20 mil cachorros galgos que nascem todos os anos é que têm as capacidades atléticas e velocidade requeridas para se tornarem grandes campeões. Sendo criados com o único propósito de correr e vencer, muitos cães jovens e saudáveis são descartados e mortos.

Os cães que vão para as pistas enfrentam um duro programa de treino e, durante os treinos e as corridas, sofrem riscos significativos de lesões, como fracturas de pernas ou traumatismos cranianos. Alguns chegam a morrer de ataque cardíaco devido ao intenso desgaste físico. Os danos físicos são muitas vezes considerados “inviáveis financeiramente” para serem tratados e o treinador – que se diz “proprietário” – opta por matar o cão.

Quando não estão nas pistas, as suas vidas não são muito melhores – geralmente são mantidos em pequenas gaiolas pela maior parte do tempo, sendo somente soltos para treinar ou correr. Informações de grupos de resgate de galgos indicam que muitos animais resgatados estavam subnutridos, pois eram supostamente obrigados a seguir uma dieta muito restricta para se manterem com um peso leve, considerado ideal para as corridas. Numa investigação realizada na Austrália, foi comprovado que 80 % dos treinadores drogam seus cães com cocaína, viagra, entre outros químicos.
Milhares desses cães continuam a ser mortos todos os anos, mesmo com a indústria em declínio. Alguns cachorros são mortos em nome da “reprodução selectiva”. Os cães que são qualificados como atletas, vivem em jaulas e são mantidos amordaçados pelos seus treinadores. Muitos exibem feridas e sofrem infestações de parasitas internos e externos. Apesar das camadas finas de pele e falta de gordura corporal fazerem com que sejam extremamente sensíveis à temperatura, os galgos são forçados a competir em condições extremas, variando entre temperaturas abaixo de zero bem como com um de calor sufocante.

Em Portugal
As competições profissionais de galgos não se realizam propriamente para dar prazer ao cão e muito menos para o tornar feliz. Apesar disso, realizam-se provas para o campeonato nacional de corridas de galgos.

Dado o lamentável, vergonhoso e cruel processo de selecção, manutenção, treino e destino dos galgos usados na competição profissional, só podemos pugnar pela ilegalidade da referida prática, devendo a mesma ser proibida em Portugal.

Informação retirada de https://www.doglink.pt/noticias/industria-das-corridas-de-galgos-continua-a-matar-milhares-de-animais
Ver Mais...

versão desktop