Absolvição do militar Hugo Ernano (GNR) , condenado a 9 anos de prisão por matar criança que seguia num assalto com o pai.

105.206 Pessoas
O Tribunal Criminal de Loures condenou a nove anos de prisão um militar da GNR local acusado de ter matado um jovem durante uma perseguição policial após um assalto em Santo Antão do Tojal.

Os factos remontam a 11 de agosto de 2008, quando o jovem de 13 anos foi atingido a tiro pelo militar da GNR Hugo Ernano durante uma perseguição policial a uma carrinha após um assalto a uma vacaria.

Além do menor, seguiam na carrinha dois homens, um deles Sandro Lourenço, o pai da criança, que estava evadido do Centro Prisional de Alcoentre.

A decisão final do coletivo de juízes, expressa no acórdão do julgamento, não foi unânime, mas sim maioritária, sendo imputado ao militar Hugo Ernano o crime de homicídio na modalidade de dolo eventual, que resultou, além da pena efetiva de prisão de nove anos, numa indemnização de 80 mil euros à família da vítima.

Por seu turno, Sandro Lourenço foi condenado a dois anos e 10 meses de prisão efetiva pelos crimes de resistência e desobediência, prestação de falsas declarações e de coação sobre funcionários.

Se acham que isto é justiça...não assinem...

Se acham que é uma injustiça prendermos policias que fazem o seu trabalho e ainda por cima têm de sustentar ladrões, assinem e partilhem o quanto puderem, pois ao menos a nossa indignação deverá estar presente e como cidadãos devemos também estar do lado de quem nos protege.
Ver Mais...

versão desktop